Nosso lindo mundo

Nosso lindo mundo

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Genoma de diabo-da-tasmânia pode ser arma antiextinção

A NASA confirmou que o Atlantis será lançada a 8 de Julho, naquela que será a sua última missão e o fim da era dos vaivéns espaciais

Vaivém Atlantis parte para última missão



A 33ª viagem do Atlantis será a última do programa de ônibus-espaciais inaugurado pela Nasa com o lançamento do Columbia em 12 de abril de 1981, que contou também com missões das naves Challenger, Discovery, Atlantis e Endeavour.
Os diretores da Nasa se reuniram nesta terça-feira no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, e confirmaram o lançamento do ônibus espacial Atlantis para as 13h26 (hora de Brasília) de 8 de julho de 2011, uma sexta-feira. A missão do Atlantis terá como destino a estação espacial internacional, durará 12 dias e encerrará o programa de ônibus espaciais, iniciado há 30 anos.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Osso de 13 mil anos contém arte pré-histórica

Fóssil, que mostra a gravura de um animal de trombas, pode ser a prova de que a América foi habitada por seres humanos na idade do gelo
Um estudo divulgado pelo "Journal of Archaelogical Science", publicação especializada em arqueologia, confirmou a autenticidade das marcas artísticas contidas em um osso de 13 mil anos de idade, encontrado em Vero Beach, no estado norte-americano da Flórida.

A confirmação foi feita por cientistas do Instituto Smithsonian e da Universidade da Flórida, que identificaram o desenho de um mamute ou um mastodonte.

A peça foi descoberta em 2006 por James Kennedy, de 39 anos, um colecionador de fósseis amador que encontrou esse fragmento em um terreno próximo à jazida arqueológica de Old Vero, onde foram encontrados ossos humanos em escavações realizadas entre 1913 e 1916. Inicialmente, a comunidade científica encarou a descoberta com ceticismo, mas segundo a pesquisadora Barbara Purdy, "nenhum dos testes foi capaz de demonstrar que o fóssil e a talha são falsos".

Quando se deu conta das inscrições, Kennedy entrou em contato com outros cientistas. O desenho tem 7,6 centímetros de comprimento e 4,4 centímetros de altura. O osso também seria parte de um animal de grande porte - provavelmente um mamute ou mastodonte caçado pelos "artistas".

A peça está em exposição no Museu de História Natural da Flórida, localizado na cidade de Gainsville. Os especialistas acreditam que esta é a única e mais antiga arte a representar um mamífero do grupo Proboscidea - ordem de animais que reúne os mamutes e mastodontes.

Para os pesquisadores o achado prova que os habitantes da América do Norte durante a Era do Gelo representavam artisticamente os animais que caçavam. Seriam os últimos anos de vida desses animais no lado leste dos Estados Unidos, segundo os cientistas. Segundo os cientistas, a gravura foi produzida em plena era glacial, o que faz da peça o fóssil mais antigo já encontrado da presença de humanos na América.
Foram usados microscópios ópticos e eletrônicos na análise da peça para identificar possíveis falhas nas linhas marcadas no osso, que poderiam invalidar a antiguidade das gravuras.

Por causa dos descobrimentos, a cidade de Vero Beach e o condado de Indian River aprovaram uma série de resoluções para proteger a jazida arqueológica.

Biólogo captura beleza da vida marinha nas águas gélidas da Rússia


Imagens do livro de Semenov. Veja mais abaixo.  (Foto: Alexander Semenov / White Sea Biological Station )
Imagens do livro de Semenov

Apesar de viverem nas profundezas de uma região inóspita, criaturas são ricas em cores

O biólogo russo Alexander Semenov transformou em livro as imagens que ele e seus colegas produziram durante quatro anos de estudos da vida marinha na Estação Biológica do Mar Branco, centro de pesquisas no noroeste da Rússia.

As imagens de Semenov foram feitas em uma região gélida e inóspita, que passa a metade do ano congelada. Ainda assim, as criaturas marinhas fotografadas por ele são ricas em cores.

Ele relata que algumas das criaturas fotografadas são comuns em diversos lugares do mundo; outras, porém, foram vistas por apenas alguns especialistas até hoje.
Sua espécie favorita é o molusco Coryphella polaris, 'uma lesma que vive a 30 metros (de profundidade) no escuro e em águas geladas, e é tão bonito', disse ele ao site TreeHugger.

O livro de Semenov já foi lançado na Rússia e agora está sendo traduzido ao inglês.

Imagens do livro de Semenov.  (Foto: Alexander Semenov / White Sea Biological Station )
 
Imagens do livro de Semenov. (Foto: Alexander Semenov / White Sea Biological Station )
 
Imagens do livro de Semenov. (Foto: Alexander Semenov / White Sea Biological Station )

Cientista britânica descobre espécie 'perdida' de morcego

Morcegos da espécia tinham sido vistos pela última vez nas ilhas Scilly na década de 60 (Foto: Fiona Mathews / Universidade de Exeter)

Uma bióloga da Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha, descobriu nas ilhas Scilly, a oeste do País de Gales, uma espécie de morcego considerada 'perdida'.

Fiona Mathews encontrou um exemplar do morcego-pipistrela, uma fêmea grávida- a primeira da espécie encontrada na ilha nos últimos 40 anos.

Morcegos da espécia tinham sido vistos pela última vez nas ilhas Scilly na década de 60. Conhecidos também como 'morcegos sussurrantes', estes animais usam suas orelhas longas para captar sons de lagartas e outros insetos dos quais de alimentam.

Devido ao fato de voarem apenas quando está muito escuro, e de os sons que emitem serem baixos demais para serem captados por aparelhos, estes morcegos são praticamente impossíveis de serem detectados por métodos tradicionais de pesquisa.

E a espécie vive em áreas de florestas, que são escassas nas ilhas Scilly.

Dicionário de língua morta há 2 mil anos é completado após 90 anos

         

Após nove décadas de pesquisas, o dicionário de uma língua que deixou de ser falada há quase 2 mil anos foi finalmente completado, com o lançamento de seu último volume. O dicionário de assírio - ao lado do babilônico, um dos dois dialetos da língua acádia, falada na Mesopotâmia antiga - tem 21 volumes e é enciclopédico em seu alcance.

Volumes inteiros são dedicados a uma única letra, e a obra traz referências extensivas a fontes originais da língua.

O dicionário foi compilado por meio do estudo de textos escritos em tábuas de argila e pedra descobertas na área da antiga Mesopotâmia, entre os rios Tigre e Eufrates, na região onde hoje está o Iraque e partes da Síria e da Turquia.

Os textos analisados, com assuntos que incluem documentos científicos, médicos e legais, cartas de amor, literatura e mensagens aos deuses, compreendem um período de 2.500 anos.

 

O projeto, lançado pelo Instituto Oriental da Universidade de Chicago em 1921, envolveu quase uma centena de pesquisadores que catalogaram registros e referências num trabalho que gerou mais de dois milhões cartões de indexação de registros.

Joias de Evita Perón são recuperadas pela polícia italiana

As joias de Evita Perón 

 Avaliadas em seis milhões de euros, peças haviam sido roubadas há dois anos

Joias pertencentes à ex-primeira-dama argentina Eva Perón, que haviam sido roubadas há dois anos em Valência, na Espanha, foram encontradas hoje pela polícia em um quarto de hotel de luxo em Milão, no norte da Itália.
  
Na operação, as forças de ordem também prenderam um sérvio de 40 anos, cuja ordem de detenção havia sido expedida pelas autoridades espanholas em maio de 2010. De acordo com os policiais, sete pessoas estiveram envolvidas no crime.
  
O resgate das joias de Evita foi possível por uma operação liderada pelo Núcleo de Investigação dos carabineiros de Milão, em cooperação com a Polícia Nacional espanhola, que foi iniciada uma semana após o roubo.
  
O quarto de hotel de luxo em que as joias foram achadas estava alugado para um homem sob nome falso. Os carabineiros esperaram ele sair para entrar no local.
  
As joias, avaliadas em seis milhões de euros, foram roubadas em 17 de dezembro de 2009 na Joalheria Sofía de Valência por um grupo de ciganos de etnia rom, que na ocasião levaram outras joias, no total de dez milhões de euros.

 

Maria Eva Duarte, como se chamava no começo; Eva Perón, como ficou conhecida em seus últimos anos; Evita, como o povo a batizou, foi uma figura que rompeu todos os precedentes históricos e definiu uma modalidade política nunca vista até então. Durante o breve período de sua atuação, ao lado de Perón, foi o centro de um crescente poder e se tornou a alma do movimento peronista, em sua essência e em sua voz. Adorada e ao mesmo tempo odiada por milhões de argentinos, o que jamais provocou foi a indiferença.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Revólver de Al Capone é leiloado

Foto: EFE

Um revólver que pertenceu ao gângster americano Al Capone foi leiloado por um valor aproximado de R$ 173 mil. O revóvler Colt 38 "Police Positive" foi vendido por 64.250 libras. Ele pertencia a um colecionador privado e o comprador não quis se identificar.

Junto com o revólver, há uma carta de Madeleine Capone Morichetti, viúva do irmão do gângster, garantindo que a pistola pertenceu ao gângster.

Alphonse Gabriel Capone (1899-1947), ou simplesmente Al Capone, foi um gângster famoso nos Estados Unidos nos anos 1920 e ficou imortalizado em diversos livros. "Você pode chegar muito mais longe com uma palavra amável e uma pistola, do que com uma palavra amável", dizia ele.
A arma leiloada era a mais importante de uma série de pistolas do gângster que, juntas, arrecadaram mais de R$ 1,5 milhão.

Descoberto nos EUA álbum com imagens inéditas de Hitler e campos de concentração

São 214 fotogragias inéditas do qual se desconhece tanto o autor das imagens como seu proprietário

Aparecen en Nueva York  fotos ineditas de Hitler

O misterioso álbum de fotografias, ao qual o jornal norte-americano The New York Times teve acesso, foi descoberto em Nova Iorque, mas o autor e proprietários  são até agora desconhecidos.  De acordo com o jornal, o álbum de fotografias chegou às mãos dos jornalistas  por um "homem da indústria da moda que trabalha em Manhattan" e que prefere  ficar no anonimato. 

As fotografias não têm qualquer referência de datas  e locais, mas revelam imagens inéditas de Adolf Hitler, de oficiais e soldados nazistas  e pessoas detidas em campos de concentração. 

A proximidade das pessoas retratadas indicia que o autor tinha acesso  livre tanto junto aos agentes de Hitler como aos campos de concentração.  O jornal solicita aos leitores que ajudem a identificar  as fotografias. 

Do que já conseguiram perceber, uma das fotografias aparenta ter sido  feita no campo de concentração de Minsk em 1941. Outra foi feita numa estação  ferroviária, na qual Hitler aguarda a chegada do então regente da Hungria,  Miklós Horthy. 

 Judith Cohen, do Museu do Holocausto nos Estados Unidos, afirmou ao  jornal The New York Times que este conjunto de fotografias se destaca pela qualidade das imagens,  feitas "claramente por um profissional que sabia o que estava a fazer",  e que possivelmente fazia parte do corpo de propaganda de Hitler. 


Hitler (1889-1945) lideró a las fuerzas alemanas durante la Segunda Guerra Mundial (EFE Archivo).

A particularidade deste álbum não é apenas o fato de ter permanecido em segredo durante vários anos, mas por reunir tanto soldados nazistas como as vítimas do extermínio em massa, todas elas registradas de perto, o que demonstra que o fotógrafo tinha acesso tanto às tropas de Hitler como aos campos de concentração.
 
Em uma das páginas do álbum pode ser visto um prisioneiro do que parece ser um campo em Minsk (Bielorrúsia) por volta de 1941, muito magro e coberto por uma manta enegrecida, ao lado de outra imagem na qual aparece um grupo de prisioneiros com a Estrela de Davi pintada sobre a roupa.
 
Adolf Hitler aparece em quatro páginas do álbum. O autor das imagens também documentou o trajeto pelo Leste Europeu de um ônibus do Partido Nazista, um grupo de enfermeiras saudando Hitler em uma estação de trem, uma família com seis filhos imersa na pobreza e as ruínas de uma cidade destruída após bombardeios.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

NASA quer novas ideias para a exploração espacial

 

Agência Espacial Americana está convidando até escritores de ficção científica para Congresso que discutirá as viagens espaciais.

O Darpa (Departamento de Pesquisa da Força Aérea Americana) e o Centro de Pesquisa Annes, da Nasa, estão enviando relatórios, formulários, e tópicos para membros de grupos de discussão convidando-os a fazer parte do simpósio "100 Anos de Estudos Espaciais", que acontece em Orlando, Flórida, de 30 de setembro a 02 de outubro.
“Essa não será apenas mais uma conferência espacial -- esperamos que especialistas em ética e tecnologia, advogados, escritores de ficção científica, entre outros, participem do diálogo para garantir que estamos pensando sobre todos os aspectos do voo interestelar“, afirmou um diretor da Darpa, David Neyland. “Essa é uma grande oportunidade para as pessoas com ideias interessantes serem ouvidas, acreditamos que vai estimular outro tipo de pensamento, sonhos e inovação.”
A conferência terá discussões de toda espécie, incluindo:
  • Soluções sobre Espaço e Tempo - propulsão, manipulação e/ou dilatação do espaço/time, velocidade de navegação igual ou superior à da luz, observações e considerações sobre a velocidade
  • Considerações: Leis, Educacionais, Sociais e Econômicas (educação como missão, quem vai e quem fica, lucrar ou não, economias no espaço, comunicações com a Terra, ramificações políticas, investimentos das viagens e ativos deixados para trás);
  • Considerações Filosóficas e Religiosas (por que ir ao espaço, questões morais e éticas, implicações de ser deixado para trás, de encontrar mundos habitáveis e vida fora da Terra).
  • Biologia e Medicina Espaciais (fisiologia e psicologia no espaço, suspensão de vida humana [criogenética], instalações e capacidades médicas, agricultura, ambientes auto-sustentáveis)
  • Destinos (critério para seleção de destino, qual escolher, quantos destinos e missões).
  • Comunicação da Visão (ligação entre iniciativas, retornos e investimentos, uso de filmes, televisão e livros para popularizar pesquisas e jornadas de longo prazo).
Fonte: http://idgnow.uol.com.br/internet/2011/06/17/nasa-quer-novas-ideias-para-a-exploracao-espacial/

Vestido de Marilyn foi leiloado por 3,9 milhões de euros


É o vestido cor de marfim, esvoaçante, que Marilyn Monroe usou no filme “O pecado mora ao lado”, de 1955. Foi leiloado e quem ficou com ele pagou 5,6 milhões de dólares (cerca de 3,9 milhões de euros). A venda superou as expectativas da leiloeira.
O leilão foi realizado em Los Angeles pela Profiles in History, que já tinha considerado que este é o “vestido mais famoso da história do cinema”, e muitos se lembrarão da cena em que Marilyn Monroe, de sorriso rasgado, procura segurá-lo enquanto este esvoaça e deixa ver as suas pernas.

Marilyn estava sobre um respiradouro do metrô de Nova Iorque e o vento soprava o seu vestido.Inicialmente a leiloeira Profiles in History teria esperado que a venda do vestido de Marilyn alcançasse os 2 milhões de dólares, mas essa expectativa foi largamente superada. Foi comprado por um anônimo que fez a sua licitação pelo telefone.



quinta-feira, 16 de junho de 2011

Documentos sobre a história do Galeão estão ameaçados

 

domingo, 5 de junho de 2011

Asteroide gigantesco se aproxima da Terra


A próxima passagem do asteróide se dará em 8 de novembro de 2011 quando o NEO 2005 YU55 passará a uma distância mínima de 325.000 quilômetros (menos que o tamanho da órbita Lua X Terra – 384.400 km). Nesta oportunidade estaremos aprendendo muito mais sobre este visitante cósmico.

Um grande asteroide vai passar entre a órbita da Lua e a superfície da Terra no final do ano, segundo cálculos da Nasa (agência espacial americana). Se atingisse a Terra, a rocha provocaria um estrago equivalente a 65.000 bombas atômicas – e deixaria uma cratera com nove quilômetros de diâmetro e 600 metros de profundidade.

A rocha sideral, chamada YU55, será o maior objeto a se aproximar da Terra até 2028. Com 400 metros de diâmetro e pesando 55 milhões de toneladas, o asteróide passará a uma distância de 325.000 quilômetros do planeta no dia 8 de novembro. A Lua orbita a 384.403 quilômetros da Terra, em média.

Embora chegue bem perto, o efeito gravitacional do asteroide sobre a Terra será insignificante. De acordo com a Nasa, o astro não irá, por exemplo, afetar as marés.


O YU55 foi descoberto pelo astrônomo Robert McMilla, chefe do programa de observação espacial na Universidade do Arizona (EUA), em dezembro de 2005. O corpo celeste orbita o Sol a cada 14 anos, mas não irá entrar em rota de colisão com a Terra por pelo menos mais 100 anos.

NASA anuncia espaçonave de transporte reaproveitando a cápsula Órion

A MPCV pode ficar no espaço por 21 dias, levando 4 astronautas. O espaço útil é de 20 metros cúbicos, dos quais 9 metros cúbicos de "espaço habitável". [Imagem: NASA]

A NASA havia criado grande expectativa com o agendamento de uma coletiva de imprensa, durante a qual seria anunciada "uma decisão chave para o transporte espacial para o espaço profundo".
A revelação, foi feita na tarde de ontem pelo administrador geral da agência espacial, Charles Bolden. Segundo Bolden, o transporte de astronautas para a Estação Espacial Internacional será transferido inteiramente para a iniciativa privada, "de forma que poderemos nos concentrar na exploração do espaço profundo."
Em vez de uma nova nave, porém, a "nova nave espacial para o espaço profundo" será na verdade um reaproveitamento da cápsula Órion, projetada para o abandonado Programa Constelação.

Cientistas encontram vermes em profundidade inédita da Terra

 
 
Apelidado de "verme do inferno", os cientistas batizaram este aqui de Halicephalobus mephisto, em homenagem ao personagem de Fausto, de Goethe.[Imagem: Nature]


Pesquisadores encontraram vermes em profundidades na Terra onde antes se acreditava que nenhum animal poderia sobreviver.

Descobertas em minas na África do Sul, as espécies de lombrigas podem sobreviver nas águas com temperaturas a até 48 graus e que se infiltram em fissuras localizadas a 1,3 quilômetro abaixo da crosta da Terra.

A descoberta surpreendeu os cientistas que, até agora, acreditavam que somente as bactérias unicelulares eram capazes de sobreviver nessas profundidades.

Até hoje, apenas organismos unicelulares, como bactérias e fungos, haviam sido encontrados a quilômetros abaixo da crosta da Terra. Acredita-se que a falta de oxigênio impede que outros seres vivos vivam nesses locais.

Brasil dono de grandes reservas de terras raras


O Brasil pode ser dono de uma das maiores reservas de terras raras do planeta, mas, hoje, praticamente não explora esses recursos minerais.

As terras raras são usadas em superimãs, telas de tablets, computadores e celulares, no processo de produção da gasolina, e em painéis solares.

Estimativas da agência Serviços Geológico Norte-Americano (USGS), apontam que as reservas brasileiras podem chegar a 3,5 bilhões de toneladas de terras raras.

De olho no potencial brasileiro, a Fundação Certi, de Santa Catarina, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), de São Paulo, e Centro de Tecnologia Mineral (Cetem), do Rio de Janeiro, estão se articulando para dar apoio à iniciativa privada, caso o Brasil decida explorar esses recursos minerais e entrar no mercado.

As terras raras são 17 elementos químicos muito parecidos, mas que diferem no número de elétrons em uma das camadas da eletrosfera do átomo. São agrupadas em uma família na tabela periódica porque ocorrem juntos na natureza e são quimicamente muito parecidos.
Também têm como característica comum os nomes complicados: lantânio, neodímio, cério, praseodímio, promécio, samário, európio, gadolínio, térbio, disprósio, hólmio, érbio, túlio, itérbio, escândio e lutécio.

Apesar do nome sugerir, esses metais não são tão raros como o ouro, por exemplo.
Se, até poucos anos atrás, não compensava para o Brasil entrar no setor, por não haver condições de competição com a China, o potencial das reservas brasileiras e o aumento dos preços das terras raras no mercado internacional podem tornar o negócio economicamente viável, defende o diretor do IPT.

Telescópio ESO fotografa galáxia parecida com a nossa Via Láctea

Telescópio ESO fotografa galáxia parecida com a Via Láctea
A imagem poderia ser um cartão postal da nossa Via Láctea enviado por um amigo extragaláctico, uma vez que esta galáxia é muito semelhante à nossa.[Imagem: ESO]


Os astrônomos do ESO (Observatório Europeu do Sul) utilizaram o instrumento Wide Field Imager para obter esta imagem da galáxia NGC 6744. Esta bela galáxia espiral situa-se a cerca de 30 milhões de anos-luz de distância, na constelação austral do Pavão.

A imagem acima poderia ser um cartão postal da nossa Via Láctea enviado por um amigo extragaláctico, uma vez que esta galáxia é muito semelhante à nossa.

Nesta imagem, a NGC 6744 aparece quase de frente, o que significa que podemos observar a estrutura da galáxia como se voássemos por cima dela.

Se tivéssemos tecnologia suficientemente avançada para escapar da Via Láctea e a pudéssemos observar a partir do espaço intergaláctico, veríamos algo semelhante ao observado nesta imagem - braços em espiral entrelaçados em volta de um núcleo denso e alongado e de um disco de poeira.

Há inclusive uma galáxia companheira distorcida, a NGC 6744A, que aparece como uma mancha difusa por baixo e à direita da NGC 6744, que nos faz claramente lembrar uma das vizinhas Nuvens de Magalhães da Via Láctea.

Umas das diferenças entre a NGC 6477 e a Via Láctea é o tamanho. Enquanto a nossa galáxia mede aproximadamente 100.000 anos-luz de um lado ao outro, a galáxia tem quase o dobro deste tamanho.

No entanto, a NGC 6744 nos dá uma ideia de como um observador distante poderia ver a nossa própria galáxia.

Las Vegas, agora tem museu sobre máfia





Uma loja de uma famosa marca de cerveja que não comercializa a bebida. Um museu sobre o crime organizado que foi idealizado pelo prefeito. Um máquina de vender maços de cigarro que distribui obras de arte. Essas certamente não são as maiores excentricidades de Las Vegas, mas são as mais novas curiosidades da "cidade do pecado".

O primeiro de dois museus que terão o crime organizado como tema, o Las Vegas Mob Experience , abriu suas portas. Montada no hotel e cassino Tropicana, na Strip, a mostra leva o visitante para dentro do universo do crime organizado. O museu conta com mais de mil peças em seu acervo. Estão lá carros antigos, armas, diários, roupas, entre outros itens, que vão de fotos e filmes de família até uma condecoração que o mafioso Meyer Lansky ganhou do governo americano por sua colaboração durante a Segunda Guerra. Tudo cedido ou vendido por familiares dos criminosos. Já o Las Vegas Museum of Organized Crime and Law Enforcement , ou apenas The Mob Museum, idealizado pelo prefeito Oscar Goodman para ajudar a revitalizar o centro da cidade, será inaugurado no fim do ano.

Nota: Em 20 de junho de 1947, Bugsy Siegel foi assassinado em Beverly Hills, Califórnia. Vinte minutos após o atentado, os sócios de Lansky, incluindo Gus Greenbaum e Moe Sedway, entraram no Flamingo Hotel e tomaram posse do mesmo. De acordo com o FBI, Lansky guardou interesse substancial pelo Flamingo durante os 20 anos subsequentes. Este fato marcou uma transferência de poder em Vegas, de Nova Iorque, para as famílias do crime de Chicago.

Meyer Lansky, nascido como Suchowliński Majer (Grodno, 4 de Julho de 1902 - Miami, 15 de janeiro de 1983) foi um gangster americano aderente à Máfia.
Nativo da Bielorrússia (seus pais eram polaco-hebraico), ele mudou-se para Nova York em 1911.

As cartas de Câmara Cascudo



Luis da CÂMARA CASCUDO, nasceu e faleceu em Natal,
no Rio Grande do Norte. Historiador, pesquisador, profundo
conhecedor de toda a história de seu Estado.Maior
folclorista de todos os tempos. Sua bibliografia é vastíssima.

O hábito de trocar cartas nesses tempos de internet anda meio em baixa. Hoje, poucos têm trocado a instantaneidade das redes sociais e do e-mail para ir até uma agência do correio selar um envelope. Mas, diferentemente das voláteis mensagens eletrônicas, as cartas convencionais guardam uma carga histórica que ultrapassa gerações. Prova disso é o acervo deixado por Câmara Cascudo (1898-1986), que passa por processo adiantado de digitalização: são mais de 15 mil correspondências, entre enviadas e recebidas, que serão disponibilizadas para consulta até o fim do ano pelo Ludovicus – Instituto Câmara Cascudo.

Em ótimo estado de conservação, as cartas compartilham recorte significativo da memória brasileira e realçam os laços de amizade entre Cascudo e figuras do quilate de Monteiro Lobato, Mário de Andrade, Assis Chateaubriand, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, Alberto Maranhão, Augusto Severo, Café Filho e Dom Pedro III (neto da Princesa Isabel e Conde D'Eu), entre outras personalidades políticas, intelectuais e escritores famosos. Há cartas dos cinco continentes, em diversos idiomas e todo o acervo bibliográfico ultrapassa os 40 mil volumes.

"São fotografias, plaquetes, correspondências, livros e panfletos cuidadosamente guardados pelo meu avô", disse Daliana Cascudo, responsável pelo Instituto instalado na casa onde o professor, historiador e pesquisador morou.
Missivista de mão cheia, Cascudo passou a trocar cartas em meados da década de 1920, e o cuidado com que eram arquivadas permitiu um alto grau de conservação: "Apenas 0,0000001% de todo o acervo precisa de restauração, Cascudo guardava tudo, inclusive o envelope, entre papéis de seda", verifica o restaurador Woldney Ribeiro de Souza. "Então, além da importância histórica do conteúdo das cartas, os envelopes também podem desdobrar pesquisas sobre o serviço postal, sobre selos", acredita Ribeiro.
Entre as curiosidades, Woldney destaca a presença de timbres e brasões de família em envelopes e papéis de carta; o papel sempre colorido das correspondências enviadas por Mário de Andrade; uma carta do presidente da Walt Disney do Brasil, agradecendo as dicas passadas por Cascudo; manuscritos de Dom Pedro III; e as cartas iconográficas do artista português de Angola Albano Neves e Souza, que o potiguar conheceu durante viagem à África: "Imagine que há envelopes de Albano Neves endereçados apenas com a caricatura de Cascudo, e as cartas chegavam. Sobre Walt Disney, podemos especular que as pesquisas de Câmara Cascudo possam ter contribuído para a criação do Zé Carioca e de outros tipos brasileiros", arrisca o restaurador, que ainda encontra cartas não catalogadas, desconhecidas da família, no meio dos livros que passam por trabalho de recuperação. "Ele sabia que este acervo seria útil para futuras gerações", garante.

 
LUÍS DA CÂMARA CASCUDO(1898-1986), um
dos mais respeitados pesquisadores do folclore e
da etnografia, no Brasil. Na foto, Câmara
Cascudo, em uma de suas viagens à África.

Cadela tem 25 filhotes em Goiás, morre após o parto e pode entrar para o Guinness Book

  • Cadela dá à luz 25 filhotes em Vianópolis (GO) e pode entrar para o Guinness Book 
Uma cadela da raça fila brasileiro bateu um recorde no último sábado (27), em Vianópolis (a 96 km de Goiânia). Ela pariu 25 filhotes em uma clínica veterinária da cidade, mas não resistiu e morreu logo depois do procedimento, que durou cerca de duas horas. Mas mesmo assim pode entrar para o Guinness Book, o livro dos recordes.

Foram 17 machos e oito fêmeas. Jade, como era chamada a cadela, já não conseguia andar três semanas antes do parto. O dono do animal, Bisamor Ferreira, contou as dificuldades de lidar com o animal. “Na hora do parto foi preciso quatro homens para carregá-la, pois nem rastejar ela conseguia mais”.

Bisamor registrou todo o procedimento e vai inscrever a cadela no Guinness Book, o livro dos recordes. O maior parto já feito em um cão, com 23 filhotes, foi divulgado no ano passado, na Alemanha.

O mecânico, que dava água e comida na boca da cadela desde o dia anterior, contou que não foi possível realizar parto normal e teve de levá-la às pressas para a clínica.
A médica veterinária Claudia Inês Frota Chadud disse que Jade estava com mais de 70 quilos. “Quase não acreditei quando a vi deitada gemendo”, afirmou Claudia.

A médica informou que o normal para um cão é gerar aproximadamente 16 filhotes, no caso de um animal de porte grande. E acredita que a cadela já deveria estar sofrendo há alguns dias com a gravidez. O prazo médio de gestação dos cães é de nove semanas.

Dos 25, 11 filhotes ainda estão vivos e são alimentados com vitaminas, cálcio, creme de leite e gema de ovo. O dono e a médica não souberam explicar com certeza o fenômeno.

Bióloga explica: por que as girafas dormem em pé?




Encontrada nas savanas africanas, as girafas (Giraffa camelopardalis) são os animais mais altos do planeta: podem ultrapassar os 5 metros de altura. Ao nascerem, os filhotes podem ter até 2 metros de altura.
A bióloga Catia Melo, do Zoológico de São Paulo, explica que este animal dorme apenas duas horas por noite e, quase sempre, em pé. Isso é uma adaptação que ajuda a espécie a sobreviver na natureza. Se um predador chegar no meio da noite, seria muito mais difícil para a girafa escapar com vida se dormisse deitada, já que ela demoraria até conseguir se levantar.
Apesar de ser um animal herbívoro, os humanos devem evitar se aproximar de uma girafa: se elas se sentem ameaçadas, dão um coice capaz até de quebrar a coluna vertebral de um leão. Assista acima ao vídeo.

Cadela leva 40 tiros, é enterrada viva e sobrevive

  • Star já recebeu várias propostas de adoção Star já recebeu várias propostas de adoção
Uma cadela levou 40 tiros de pequeno calibre no crânio e foi enterrada viva, em Malta, mas, desafiando todas a probabilidades, sobreviveu e passa bem. O caso, que ocorreu na semana passada na cidade de Birzebbuga, foi descoberto por acaso.
Um morador local ouviu um gemido vindo de uma tábua, no meio de um terreno. Quando o pedaço de madeira foi removido, o homem encontrou a cachorra enterrada, somente com o focinho para fora do chão. 

A cadela, que agora se chama Star, foi retirada e levada a um hospital veterinário. Ela foi operada e passa bem. A cadela recebeu propostas de adoção de várias partes do mundo, mas ela ainda levará um bom tempo para se recuperar totalmente.
Agora, as autoridades de Malta querem rever as leis contra a crueldade em animais. Quem for condenado por violência contra os bichos pode pegar até um ano de prisão. 

Tigre macho 'adota' filhotes órfãos e surpreende especialistas

 


Um tigre macho que parece estar cuidando de dois filhotes órfãos surpreendeu as autoridades ambientais no norte da Índia.

Em uma demonstração inusitada de amor paterno, os especialistas acreditam o tigre esteja tomando conta dos seus filhotes que perderam a mãe em fevereiro.

O natural, para a espécie, é que um tigre ataque um filhote quando o encontre. Entretanto, os especialistas disseram não ter encontrado evidências deste tipo de comportamento.

Pelo contrário, o macho foi fotografado caminhando apenas cerca de um metro atrás dos órfãos.

Os filhotes têm cerca de oito meses de idade e são muito jovens para caçar por conta própria. Desde a morte da mãe, a tigresa, em 9 de fevereiro, eles vêm sendo alimentados pelos funcionários do parque.

Multidão apedreja e queima macaco 'bruxo' na África do Sul

Os moradores do vilarejo de Kagiso, perto de Johannesburgo, na África do Sul, apedrejaram e queimaram vivo um macaco vervet depois de alegarem que o animal estava ligado a algum tipo de bruxaria.

Segundo o jornal sul-africano "The Star", a multidão gritava "mate aquele bruxo", enquanto o macaco era colocado em um balde e encharcado com gasolina. Em seguida, testemunhas relatam que os moradores atearam fogo ao animal.

Veja a localização da África do Sul

  • Arte UOL
Os boatos de que o macaco podia falar se espalharam no dia 23 de maio, quando o animal entrou no vilarejo. O bicho foi então capturado, apedrejado e queimado.

Antes de ser colocado dentro do balde e encharcado com gasolina, o animal conseguiu fugir e se refugiar em uma árvore, mas foi agarrado novamente e morto.

Um dos moradores de Kagiso, Tebogo Mswetsi, disse ao The Star que foi acordado por amigos logo pela manhã, que falaram sobre o macaco. Segundo eles o animal andava pelo vilarejo "falando com as pessoas".

Moswetsi se juntou à multidão por curiosidade e, quando o macaco subiu na árvore, foi ele quem o tirou de lá.

"Me sinto culpado, não devia ter tirado ele daquela árvore. Eu o derrubei depois que alguém despejou gasolina nele. Não tive escolha", disse Moswetsi ao jornal.

Bióloga do Zoo de SP conta curiosidades sobre a onça pintada

Maior felino do continente americano, a onça pintada ocupa desde o sul do México até o norte da Argentina e pode habitar diversos biomas. Aqui no Brasil, por exemplo, ele pode ser encontrado tanto nas densas florestas da mata amazônica, quanto no cerrado ou no pantanal.

A bióloga Mara Marques, da Fundação Zoológico de São Paulo, explica também que a onça pintada  possui características muito específicas e as manchas em cada animal formam um padrão único, assim como as impressões digitais de um humano. Isso quer dizer que nenhuma onça terá manchas iguais a outra onça.
A mandíbula deste felino, bem desenvolvida, é capaz de triturar os ossos de uma presa. Suas presas favoritas são alguns mamíferos como capivaras, antas, macacos, mas podem também comer outros pequenos felinos e até mesmo jacarés. Assista ao vídeo abaixo e conheça mais características da onça pintada.

5 curiosidades da sexta-feira 13

Por que Sexta feira 13 é o dia do azar?

Uma série de fatores parece ter levado à combinação do 13º dia do mês ao último dia útil da semana para formar o Dia Internacional-Mundial-Universal do azar.
Como toda superstição/lenda urbana, suas origens são bens difíceis de rastrear e estão permeadas por histórias mirabolantes.
Separamos aqui algumas curiosidades que tentam explicar a origem da data e de algumas das superstições associadas a ela.

1- Qualquer mês que começar em um domingo terá uma sexta-feira 13. E existe pelo menos uma por ano.

2- O número 13

Ao que tudo indica, ele é associado ao azar há séculos. Um dos registros mais antigos é a Última Ceia, na qual haviam 13 participantes (Jesus e seus 12 apóstolos). Como dois deles foram mortos em pouco tempo, o número 13 passou a não ser muito bem visto à mesa. Dizem também que a explicação estaria na numerologia: o 12 está associado à ideia de algo “completo” – 12 meses no ano, 12 signos do zodíaco, 12 tribos de Israel, 12 deuses do Olimpo – e que colocar um “elemento” a mais no 12 seria uma forma de desequilibrar a composição de algo.


3- A sexta feira
Há muitas explicações, a maioria delas associadas a momentos religiosos e passagens bíblicas. Dizem que Eva tentou Adão com a maçã no paraíso em uma sexta-feira e que a inundação de Noé, a Torre de Babel e a morte de Cristo também aconteceram na sexta. Independentemente da onde surgiu a ideia de azar na sexta, uma coisa é quase certa: a associação do dia ao número 13 não foi feita até 1907. Neste ano, um investidor de Boston chamado Thomas Lawson publicou o livro “Friday the Thirteenth” (Sexta-feira 13). Nele, um malvado homem de negócios tentava quebrar a bolsa de valores no “dia mais azarado do ano”. O livro vendeu bem e se tornou filme em 1916, ajudando a popularizar a superstição. Em 1980, veio o sucesso “Sexta-feira 13”, com Jason imortalizando a data.

4- Passar por debaixo da escada

Mais uma explicação religiosa. Dizem que, porque a escada tem o formato de um triângulo, ela representaria Pai, Filho e Espírito Santo. Ao andar “através dela”, você estaria quebrando a Santíssima Trindade – o que não traria sorte.

5- Quebrar um espelho
Existem duas teorias para esta superstição. Os antigos romanos acreditavam que os reflexos mostravam a alma da pessoa, e também que a vida se renovava a cada 7 anos. Assim, quebrar um espelho (sua alma) seria o equivalente a ter um ciclo completo de azar – sete anos. A outra explicação, mais prática, é a de que até o começo do século 19 era comum que os espelhos tivessem mercúrio em sua composição. O mercúrio é uma conhecida neurotoxina que pode causar envenenamento. Assim, quebrar um espelho poderia fazer com que alguém entrasse em contato com a substância e, eventualmente, ficasse doente pouco tempo após o acidente.

Curiosidades dos 100 anos das 500 Milhas de Indianapolis

- O primeiro estrangeiro a vencer foi o francês Jules Goux com Peugeot em 1913

- O segundo estrangeiro foi o francês René Thomas com Delage em 1914

- O terceiro estrangeiro for o italiano Ralph di Palma com Mercedes em 1915

- O quarto estrangeiro foi o italo-britanico Dario Resta com Peugeot em 1916

- O quinto foi o franco-suíço Gaston Chevrolet com Monroe em 1920

- O sexto estrangeiro virá muitos anos depois com o escocês Jim Clark com Lotus Ford em 1965

- O sétimo estrangeiro foi o inglês Graham Hill com Lola Ford em 1966

- O oitavo estrangeiro foi o brasileiro Emerson Fittipaldi com Penske Chevrolet em 1989

- O nono estrangeiro foi o holandês Arie Luyendyk com Lola Chevrolet em 1990

- O décimo estrangeiro foi o canadense Jacques Villeneuve com Reynard Ford em 1995

- Entre as nacionalidades, o Brasil lidera com 6 vitórias: Hélio Castroneves em 2002, 2003 e 2009; Emerson Fittipaldi em 1989 e 1991; Gil de Ferran em 2003.

- O Reino Unido empata com o Brasil: Dario Franchitti (Escócia, 2007 e 2010); George Robson (1946); Jim Clark (1965); Graham Hill (1966) e Dan Wheldon (2005).

- França e Itália tem 3 vitórias cada; Holanda, Canada, Suécia, Colômbia e Nova Zelândia tem uma vitória cada um

- O Brasil conquistou 7 Pole-Positions nas 500 Milhas: 1990 (Ermerson Fittipaldi), 2002 (Bruno Junqueira), 2003 (Hélio Castroneves), 2005 (Tony Kanaan), 2007, 2009 e 2010 (Hélio Castroneves).

- A primeira corrida em Indianápolis aconteceu no dia 30 de maio de 1911, em uma terça-feira.

- Primeiro Vencedor das 500 Milhas de Indianápolis: Ryan Harroun (1911)

- Primeiro piloto a vencer duas vezes: Tommy Milton (1921 e 1923)

- Janeth Guthrie foi a primeira mulher a participar da prova em 1977.

- Em 2005, Danica Patrick, Andretti Autosport, foi a primeira mulher a liderar uma volta no Indianápolis Motor Speedway.

- O troféu para o vencedor chama Borg-Warner, que tem todas os rostos dos vencedores esculpido. Tem 1,62 m de altura e pesa 49 kg.

- AJ Foyt (61, 64, 67 e 77), Al Unser (70,71, 78 e 87) e Rick Mears (79, 84, 88 e 91) são os únicos que conquistaram quatro vitórias em Indianápolis.

- AJ Foyt é o piloto que mais disputou as 500 Milhas com 35 participações.

Animais ameaçados de extinção estão se reproduzindo em cativeiro

O zoológico de Belo Horizonte tem um motivo a mais para comemorar. Animais ameaçados de extinção estão se reproduzindo em cativeiro. Das 254 espécies que vivem no parque, pelo menos 30 correm risco de extinção.

De acordo com a coordenadora do serviço de educação ambiental, Gislaine Xavier Andrade, o cachorro do mato foi considerado um animal extinto em Minas Gerais. Após receber um casal da espécie, cinco filhotes nasceram no zoológico.

O macaco prego é um dos animais mais carismáticos do zoológico. Eles chegam perto das pessoas, fazem careta, brincam. A criançada adora! Mas esta espécie também está ameaçada de extinção. Segundo coordenadora, principalmente por causa da caça excessiva e do desmatamento. Dois filhotes de macaco prego nasceram no parque.

No Jardim Botânico, o trabalho de reprodução também é feito. Das 2050 espécies, cerca de 100 podem sumir da natureza. Uma delas é a orquídea.